"Ela tava bêbada" - O que o caso Robinho nos traz de reflexão.

Atualizado: Nov 18

Recentemente um caso envolvendo o jogador Robinho ganhou uma grande repercussão no Brasil.


Para quem não sabe, ele, juntamente de outros 5 amigos foram acusados e condenados em primeira instância por violência sexual em grupo na Itália, em 2017. A acusação afirma, por meio de provas, que a jovem estava embriaga ao ponto de ser incapaz de andar por si só.


Nós da Helena Power Tag estamos trazendo a polêmica em pauta com o objetivo de trazer à reflexão aspectos como a cultura machista, a percepção do que é ato sexual ou não e que uma pessoa bêbada perde sua capacidade de percepção do que quer e das coisas que acontecem ao seu redor.


Para abordar esses tópicos trarei algumas frases ditas pelo jogador Robinho e os outros acusados, que foram extraídas de intercepções telefônicas realizadas pela justiça Italiana e que serviu como prova para a decisão de condenação.



É OU NÃO É SEXO?


Em uma das escutas Robinho e o músico Jairo Chagas, que também estava presente no dia do ocorrido (e deu falso testemunho) trocaram as seguintes frases:


JAIRO: Eu te vi colocando o pênis na boca dela;
ROBINHO: Isso não significa transar.

Não só nós mulheres, mas também os homens, muitas vezes ficamos no escuro em questões à atos sexuais. Não digo isso na ação em si, mas no que é ou não é um ato, no que é ou não é certo, no que deve-se ou não deve-se fazer... em tudo o que se diz a respeito de querer - poder - fazer.


Eu particularmente atribuo esse problema a uma cultura pobre em educação sexual, que ainda é vista como tabu, que ainda não é bem aceita quando debatido com menores de idade e que ainda é pouco pesquisado e explorado por muitos homens e mulheres.


Alguns pensam que sexo oral é preliminar e que faz parte do processo de "esquentar"o clima, mas a verdade é que como o próprio nome diz, sexo oral é um ATO SEXUAL. Portanto, quando vi que Robinho afirmou que "isso não significa transar" eu na hora fiquei chocada. Não sei se isso foi uma tentativa de justificar à si mesmo que "não fez nada de errado" e por tanto não pode ser condenado por estupro ou se ele realmente não tem o conhecimento de quão equivocada essa frase é.


O Portal Mundo Educação tem um trecho muito pertinente com esse post, que diz o seguinte:

Segundo a legislação brasileira, o estupro vai além da penetração (conjunção carnal), de forma constrangedora e sem consentimento. Sexo oral, masturbação, toques íntimos e introdução forçada de objetos, por exemplo, também se enquadram nessa categoria de violência sexual.
O estupro é caracterizado pelo uso de violência física ou psicológica, no qual o agressor ameaça a vítima para satisfazer o seu prazer.

Portanto mulheres, nós Powers deixamos aqui o primeiro alerta e a primeira reflexão desse post: CONHEÇAM SEUS DIREITOS COMO MULHER AO CONHECER A LEGISLAÇÃO. Somente sabendo o que é certo e errado segundo a lei é que você terá mais "munição" para exigir respeito e correr atrás de justiça.



ATÉ ONDE VAI SEU JULGAMENTO DE CERTO E ERRADO?


Quando faço essa pergunta eu quero levantar a seguinte reflexão: se é algo que você deseja muito ou que lhe dá prazer, você passa por cima do que é "correto" para suprir seus próprios desejos?


Essa reflexão gira em torna de inúmeras situações em nossa vida: comer bolo ou hambúrguer quando está desejando perder peso, furtar algo, assediar e/ou abusar de alguém... até onde fingimos não saber o que é errado apenas para viver o momento e ter aquilo que nos gera prazer imediato?


Um dos envolvidos no caso Robinho, em uma conversa com o jogador diz o seguinte:


RICARDO FALCO: ...naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Olhem a gravidade desse fato, caros leitores. Ele tinha total consciência de quão fora de si a jovem estava mas em nenhum momento se impediu e nem pensou em impedir os demais de fazer algo com a jovem. Em nenhum momento considerou que ela não estava tendo direito e tão pouco capacidade de dizer se queria ou não que a tocassem, que não fizessem sexo oral nela ou não a fizesse realizar sexo oral neles, que não a penetrassem e que tão pouco isso acontecesse em rodízio. Ela não tinha voz e nenhum dos envolvidos se preocupou com isso pois estavam mais preocupados em satisfazerem seus desejos carnais e e "viverem o momento", quase que como uma disputa de "macho alpha", como quem seria corajoso de ir mais longe nessa "brincadeira".


Por sinal, foi sémen deste Ricardo Falco que foi encontrado nas roupas da vítima. Chocante não é mesmo?!


E com essa reflexão da fala dele, eu entro no próximo aspecto e de grande importância para esse post.



CULTURA MACHISTA QUE FALA, NÉ?!


Com a mesma capacidade de percepção de quão fora de si a menina se encontrava, Robinho soltou a seguinte frase:


ROBINHO: Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada. Não sabe nem o que aconteceu.

E olha só que impressionante, ao vê-la tão incapacitada de "saber o que aconteceu", ele deliberadamente colocou o seu pênis na boca dela. Mas não pensou duas vezes em dar uma entrevista onde diz que foi consensual e que seu único arrependimento foi ter traído sua esposa.


Isso nos mostra como nossa sociedade continua vivendo uma cultura MACHISTA e PATRIARCAL, onde a grande maioria ainda acredita e tenta usar ao seu favor que o comportamento da mulher pode motivar o estupro. Que uma mulher por ter bebido ao ponto de perder a consciência do que acontece ao seu redor "consentiu" que fizessem o que quisessem com ela.


É como a própria Maria da Penha disse em uma entrevista que está publicada no site Panorama Mercantil:

Vivemos em uma sociedade culturalmente machista e patriarcal onde os homens foram educados como seres superiores e em assim sendo, as leis criadas por eles e para eles fortificaram o entendimento de que a mulher é um ser inferior e como tal deve-lhe obediência e submissão.

E aí eu me pergunto: quantos casos mais de abusos, violências e desigualdade com a mulher vamos ver antes que nossa sociedade comece a mudar e quebre essa cultura cristalizada?


Sinceramente não sei quanto tempo mais, não sei nem se alguém é capaz de ter noção disso. Mas se tem uma coisa que eu sei é que Maria da Penha tem razão quando disse uma vez que "o mais importante é que hoje grande parte das mulheres já se reconhece como cidadã de direitos". E precisamos continuar lutando para que cada vez mais mulheres se reconheçam assim, pois esse é um dos caminhos para conquistarmos uma sociedade com mais equidade.



E O QUE MAIS PODEMOS REFLETIR COM ESSE CASO?


Nunca nossas ações refletem somente em nós, seja para prejudicar ou beneficiar.


Uma ação de um jogador famoso e que segundo ele mesmo disse "não entende porque teve uma repercussão tão forte como essa no Brasil", teve impacto não somente para ele e os outros abusadores, mas afetou com certeza sua família de inúmeras maneiras que podemos imaginar (que vão desde vergonha e decepção até retaliação apenas por serem parentes); impactou em seu clube e patrocinadores que estão neste momento se movimentando para contornar o retorno negativo de estar associado com um acusado de estupro, refletindo no nome de suas empresas e consequentemente em suas questões financeiras; impactou na casa noturna em que aconteceu o fato, que teve seu nome constantemente associado ao caso, sofrendo queda de status, passando por troca de gerenciamento e que até mesmo passou por uma reforma que pode ter sido uma tentativa de evitar novos acontecimentos como esse (o que neste caso foi impactado de uma forma positiva); sem contar em todos os prejuízos psicológicos com consequência financeiras, sociais e familiares que eles podem ter causado na vítima ao abusar dela.


Para essa reflexão eu dou um nome: RESPONSABILIDADE (ou no caso, a falta dela!)


Devemos a cada dia buscar ser cada vez mais responsável, não só com nós mesmos, mas também com o outro e com o mundo ao nosso redor. Isso também faz parte de uma caminhada na busca de uma sociedade melhor. Pensem sobre isso. Aproveitem e vejam a reprise da live sobre esse assunto em nosso IGTV, basta acessar o link bit.ly/livecasorobinho ou entrar direto em nosso Instagram @helenapowertag.


Gratidão por ler nosso artigo.

Até a próxima!


Se inscreva em nosso mailing

Entre em contato conosco:

©2020 HELENA POWER TAG